AJUDA / SUGESTÕES

?

Precisa de ajuda?
Tem ideias ou sugestões?

O projeto FAZ SENTIDO é aberto e colaborativo, a sua particição é essencial para todos nós!

Crie sua trilha!

Crie uma Trilha para a sua rede dentro da plataforma FAZ SENTIDO e gerencie por aqui todos os passos do processo de redesenho do ensino fundamental II. Após o cadastro, você poderá convidar parceiros para acompanhá-lo neste percurso. Importante: cada usuário pode participar de apenas uma Trilha. Boa jornada!

Política de compartilhamento

A plataforma FAZ SENTIDO tem como objetivo contribuir com redes de ensino, escolas e professores para construir um ensino fundamental II mais conectado com as características, o contexto, as necessidades e os interesses dos adolescentes do século XXI.

Todos os conteúdos disponibilizados na plataforma estão licenciados em Creative Commons e podem ser publicados em partes ou na íntegra por terceiros. A FAZ SENTIDO apenas sugere que se faça referência à fonte, mas não há obrigatoriedade.

As imagens de autoria da FAZ SENTIDO, assim creditadas no site, seguem o mesmo princípio. Podem ser replicadas e remixadas por terceiros e publicadas com o crédito original da equipe.

Colaboradores que, voluntariamente, enviarem conteúdos (imagens, práticas, recomendações, experiências, sugestões, comentários, dentre outros) para a plataforma concordam, automaticamente, em disponibilizar os materiais de sua autoria no mesmo tipo de licença Creative Commons.

Estamos sempre à disposição para colaborar e esclarecer dúvidas.

Aproveitem!

Compartilhe suas sugestões



Caso você não queira preencher todos os campos ou deseje enviar anexos, escreva para contato@fazsentido.org.br.

Ao compartilhar conteúdos pela plataforma FAZ SENTIDO, você automaticamente concorda em licenciá-los em Creative Commons, para que possam ser multiplicados por terceiros.

Os conteúdos compartilhados por aqui passarão pelo olhar de uma equipe, para garantir que estejam de acordo com o formato da plataforma.

Prática
#PraticaPedagogica #Experimentacao #Emocional
Cartas, para que te quero?

Trabalhar o gênero textual e, através dele, sentir a emoção e a expectativa de escrever para alguém desconhecido

COMPARTILHAR

FAVORITO

Por favor, faça login para favoritar.

IMPRIMIR

OBJETIVOS

+ Promover relações sociais a partir da escrita de cartas

+ Estimular o interesse pela produção escrita

+ Trabalhar a carta como gênero textual

+ Valorizar e aprimorar a caligrafia

+ Promover a conexão entre estudantes de escolas diferentes

CONTEXTO

Os adolescentes de hoje se relacionam de maneira instantânea devido à alta velocidade possibilitada pelo uso de tecnologias. Por conta disso, perdeu-se a emoção de esperar a resposta de alguém e a expectativa em receber impressões pessoais e íntimas sobre a maneira de ser, agir, pensar… de outra pessoa. Este sentimento, tão valorizado poucos anos atrás, pode ser vivenciado a partir da escrita de um gênero esquecido ou, ainda, desconhecido por alguns estudantes: a carta.

PERCURSO

  1. Mobilização de conhecimentos prévios

Em aula, o professor promove a leitura de uma carta para os alunos e propõe uma conversa a respeito do gênero, do conteúdo e da importância do texto em questão. Em seguida, assiste com a turma a um trecho do filme Mary e Max, Uma Amizade Diferente (veja abaixo, em “Dicas”, onde assisti-lo).

  1. Roda de Conversa

Após o filme, o professor propõe uma roda de conversa acerca da experiência de escrever para alguém desconhecido.

  1. Imagem, Leitura

O professor solicita, então, aos alunos que representem suas identidades a partir de imagens, desenhos e frases.

  1. Produção de texto escrito

A partir do conteúdo imagético, os estudantes escrevem cartas sobre suas maneiras de pensar, agir, sobre suas realidades, desejos, interesses… detalhes que queiram dividir – refletindo, assim, sobre suas vidas e identidades.

  1. Conexão

Pela escola, as cartas são entregues a alunos de outras turmas ou de outra instituição de ensino, que as distribui. Aqueles que recebem as cartas escrevem, então, suas respostas, entregues pela escola aos respectivos destinatários.

  1. Redes Sociais

Após a troca de cartas, o professor cria um blog para que os alunos relatem suas experiências e, também, um grupo no Whatsapp para que narrem e compartilhem as cartas recebidas em arquivos de áudio.

DICA

+ Mary e Max (dublado)

+ O projeto pode ser realizado simultaneamente em duas escolas diferentes, passando pelas mesmas etapas.

+ Antes de optar pelo blog ou WhatsApp, o professor pode combinar com os alunos a rede ideal para engajar a turma.

RECURSOS

+ Equipamento audiovisual para transmissão de filme em sala de aula

+ Papéis, canetas esferográficas e canetinhas, giz de cera ou lápis coloridos

INSPIRAÇÃO

Prática criada por professores, alunos e coordenadores pedagógicos em oficina de cocriação realizada na Escola Municipal Joir Brasileiro, em Salvador (BA), município onde o FAZ SENTIDO está sendo implementado.