O que é?

A plataforma FAZ SENTIDO tem o propósito de apoiar Redes de Ensino, escolas e professores na construção de um Ensino Fundamental II e Ensino Médio mais conectados com as características, o contexto, as necessidades e os interesses dos adolescentes e jovens do século XXI.

Desde 2014, os parceiros envolvidos na iniciativa têm trabalhado junto a especialistas e Redes de Ensino para:

  • Mapear os principais entraves enfrentados por Redes, escolas, professores e alunos do Ensino Fundamental II e Ensino Médio;
  • Realizar estudos sobre diferentes aspectos relacionados ao universo dos adolescentes e jovens e do Ensino Fundamental II e Ensino Médio;
  • Organizar um conjunto diversificado e customizável de recomendações e práticas que apoiem o enfrentamento dos desafios identificados;
  • Construir percursos que permitam a cada Rede, escola ou professor, promover mudanças no Ensino Fundamental II e Ensino Médio de forma colaborativa e a partir da sua realidade.

Por que fizemos?

O Ensino Fundamental II é uma etapa da vida escolar sistematicamente negligenciada pelas Redes de Educação. Muitas vezes tratada como transição entre os anos iniciais e o Ensino Médio e tendo sua responsabilidade compartilhada entre estados e municípios, os anos finais dificilmente entram no rol de prioridades de gestores e políticas públicas, o que lhes confere o rótulo de “etapa esquecida da educação básica”.

Por outro lado, os alunos desse nível de ensino vivenciam um momento bastante peculiar do seu desenvolvimento, marcado por profundas transformações físicas, psíquicas, emocionais e sociais. Nessa passagem da infância para a juventude, muitos perdem o vínculo, o prazer e o sentido de estar na escola, que dialoga pouco com sua realidade, seus interesses e suas necessidades. Além da falta de identificação, os estudantes do Ensino Fundamental II também se ressentem com o pouco acolhimento oferecido por suas instituições de ensino, que exigem muita autonomia na organização dos estudos, mas criam poucas oportunidades para uma participação estudantil mais efetiva e para que a aprendizagem e o desenvolvimento integral de fato se concretizem.

Dados educacionais reforçam essa percepção. A Prova Brasil de 2015 indica que, dentre os alunos que concluem o Ensino Fundamental II no país, apenas 30% têm conhecimento adequado em português e 14% em matemática. Esses números tiveram um avanço de 7 pontos percentuais em português e 3 pontos percentuais em matemática desde 2011. Ou seja, houveram avanços porém a passos lentos.

Em 2015, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no Ensino Fundamental II foi 4,5, valor abaixo da meta esperada (4,7). O país também não atingiu a meta de conclusão do Ensino Fundamental na idade certa. A perspectiva era de que 87,9% dos estudantes concluíssem essa etapa de ensino aos 16 anos e apenas 76% chegaram lá.

Contribuem para o problema os níveis de reprovação (14% só no 6º ano) e de evasão escolar, que começa a aumentar à medida que os estudantes entram na adolescência. De acordo com relatório divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em 2012, 24,3% dos brasileiros abandonaram o Ensino Fundamental antes de completar o último ano.

Vale destacar que, na educação pública, a rede estadual atende 5,4 milhões(43,6%) dos alunos dos anos finais, enquanto os municípios possuem 5,2 milhões(41,7%) de estudantes nessa etapa de ensino. Como as redes municipais focam mais a Educação Infantil e os anos iniciais do Ensino Fundamental, e os estados priorizam o Ensino Médio, os anos finais costumam receber pouca ou menor atenção.

A defasagem acumulada ao longo dos últimos anos do Ensino Fundamental culmina em um quadro bastante alarmante no Ensino Médio. Essa etapa da Educação Básica, tão importante por preparar e iniciar a transição dos estudantes para a vida adulta, possui altos índices de evasão (12%) e reprovação escolar (11,5%) como mostrou o Censo Escolar de 2015.  

Ainda em 2015, a taxa de estudantes que terminaram o Ensino Médio aos 19 anos era de apenas 58,5%. Além disso, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2015 apontou que o Ensino Médio segue estagnado na média das escolas do país, com índice 3,7, ainda distante da meta de 4,3. O patamar se mantém desde a avaliação realizada em 2011.

A crise dos anos finais do Ensino Fundamental dificulta o avanço dos estudantes no Ensino Médio e fortalece a percepção de que o atual modelo de educação não responde às demandas das novas gerações, nem as prepara para os desafios do século XXI. Para resolver essa equação, não basta aperfeiçoar as práticas vigentes. É preciso redesenhá-las de forma profunda e participativa, a fim de que promovam uma mudança estrutural na cultura, nos papéis, no currículo, nas abordagens pedagógicas e no próprio espaço físico da escola.

O que você encontra na plataforma?

A plataforma FAZ SENTIDO foi desenvolvida para disponibilizar soluções, orientações e ferramentas, bem como promover processos de troca e colaboração, para apoiar Redes, escolas e professores de Ensino Fundamental II e Ensino Médio. O conteúdo da plataforma está distribuído nas seguintes seções:

Estudos

Compilação de informações relevantes sobre o universo dos adolescentes e das juventudes, além de diversos temas relacionados ao Ensino Fundamental II e Ensino Médio. Os estudos resultam de amplos processos de pesquisa e consulta e se propõem a aprofundar os conhecimentos e a compreensão de gestores e professores, a fim de que consigam se aproximar mais da realidade dos seus alunos e ampliar seu repertório em áreas relevantes para o aprimoramento de suas práticas.

Acessar Estudos

Recomendações e Práticas

Conjunto de propostas concretas para conectar a educação às especificidades da adolescência e juventude, organizadas em oito temas: Adolescência/Juventudes, Currículo e Práticas Pedagógicas, Tecnologia, Gestão, Formação de Educadores, Família e Comunidade, Avaliação e Certificação e Ambiente da Escola. As referências buscam apoiar gestores e técnicos de Redes de Educação no desenho de políticas e programas e inspirar diretores escolares, coordenadores e professores em suas práticas cotidianas. A proposta é que novas recomendações e práticas sejam permanentemente inseridas na plataforma, inclusive por meio da colaboração dos próprios usuários.

Acessar Recomendaçòes e Práticas

Trilha

As Trilhas são guias práticos para orientar a construção de novas soluções, a partir de processos de escuta, cocriação, desenvolvimento e experimentação.

Acessar Trilha

Login

Seção especial para quem se cadastra na FAZ SENTIDO. Ao logar na plataforma, você poderá utilizar recursos customizados de interação com a Trilha, as Recomendações e Práticas, além de gerenciar o seu perfil.

Cadastrar

Ajuda / Sugestões

Espaço de interatividade entre os usuários e a plataforma. Ajude-nos a oferecer um conteúdo ainda mais relevante para quem quer construir uma educação que faça mais sentido para os adolescentes e jovens. Interaja, opine, compartilhe, participe!

Enviar dúvidas e sugestões

Como fizemos?

A plataforma FAZ SENTIDO tem sido construída a muitas mãos!

O processo começou em 2014, por iniciativa do Instituto Inspirare, que convidou diversos parceiros a se integrarem ao projeto, estruturado em duas vertentes: ações de design e ações de campo.

As ações de campo foram conduzidas por duas organizações: Laboratório de Inovação Educacional (LABi) e Laboratório de Mídia e Educação (MEL). Essas iniciativas ocorreram junto às secretarias municipais de educação de Salvador (BA) e São Miguel dos Campos (AL), respectivamente. As atividades envolveram a realização de:

  • Escutas inspiracionais, com a participação de mais de 6.700 gestores, técnicos, conselheiros, professores, alunos e familiares ligados aos anos finais das suas Redes;
  • Oficinas de cocriação, que reuniram mais de 260 professores, alunos e familiares, para prototipação e experimentação de soluções práticas para resolver os problemas que eles mesmos mapearam;
  • Grupos de trabalho, com técnicos das secretarias, para construção e implementação de novas diretrizes para o Ensino Fundamental II em suas redes.

Já as ações de design, conduzidas pela Agência Tellus, envolveram a realização de:

  • Estudos sobre a adolescência e juventude e temas relacionados ao Ensino Fundamental II e Ensino Médio;
  • Oficinas de cocriação, que contaram com a colaboração de mais de 65 especialistas na curadoria e no desenvolvimento de recomendações e práticas;
  • Trilhas para orientar Redes, escolas e professores a redesenhar o Ensino Fundamental II e Ensino Médio, que têm sido construídas e aprimoradas coletivamente por todos os parceiros do projeto;
  • Plataforma FAZ SENTIDO, também construída de forma colaborativa, que busca disponibilizar todos os conteúdos e ferramentas gerados pelo projeto, a fim de que sejam utilizados de forma ampla, amigável, customizada e gratuita por redes, escolas e professores de todo o país.

Na etapa atual, Inspirare, Instituto Unibanco e Agência Tellus desenvolverão ações e ferramentas de interação e formação para disseminar a FAZ SENTIDO por todo o país e apoiar a sua implementação, especialmente por redes públicas de educação.

Quem somos?

INSTITUTO INSPIRARE

O Inspirare é um instituto familiar, criado com a missão de inspirar inovações em iniciativas empreendedoras, políticas públicas, programas e investimentos que melhorem a qualidade da educação no Brasil. Sua atuação acontece por meio de três programas: Porvir, produção e difusão de referências sobre inovações educacionais; Laboratórios Educativos, experimentação de inovações educacionais em territórios estratégicos, para inspirar novos modelos e práticas pedagógicas; Educação Pública Inovadora, incidência sobre políticas públicas e apoio a redes de ensino no desenvolvimento e implantação de inovações educacionais.

INSTITUTO UNIBANCO

Criado em 1982, o Instituto Unibanco – uma das instituições responsáveis pelo investimento social privado do Itaú Unibanco – é uma organização sem fins lucrativos que atua com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade da educação pública no Brasil. Com o foco na melhoria dos resultados e na produção de conhecimento sobre o Ensino Médio, o Instituto Unibanco dedica-se a elaborar e implementar soluções de gestão – na rede de ensino, na escola e sala de aula – comprometidas com a capacidade efetiva das escolas públicas de garantir o direito à aprendizagem de todos os estudantes. Busca ainda a institucionalização, nas redes de ensino, de uma visão orientada para a sustentabilidade dos resultados de aprendizagem e da equidade entre as escolas e no interior de cada uma delas.

TELLUS

A Agência Tellus é a primeira agência de design de serviços públicos no Brasil. Auxilia o governo e organizações provedoras de serviços públicos a encontrar e priorizar oportunidades de melhorias dos serviços para, então, desenvolver, com cidadãos e servidores, serviços públicos de alta qualidade.

A elaboração da FAZ SENTIDO também contou com a colaboração das organizações Laboratório de Mídia e Educação (MEL) e Laboratório de Inovação Educacional (LABi).

Uma parceria:

inspirare
instituto unibanco
tellus
Laboratório de Inovação Educacional